As Fotos

Ela guardava as fotos, numa caixa com medo de exibi-las e esperava que ele voltasse, ela ainda guardava a polairoide que compraram juntos, tudo numa caixa de madeira, pintada de cor-de-rosa, todo dia ela acordava e em algum momento do dia ela pensava se ele lembrava dela, lembrava da noite que eles se conheceram, da semana que passaram juntos, naquela cidade, na grande cidade, se lembrava do parque que encontraram por acaso, esperando ser um fracasso, mas, foi ótimo, se ele se lembrava dela como ”Ela” e não apenas uma garota que conhecera no reveillon. Ela esperava que ele se lembrasse da garota espontânea e engraçada que ele a fez ser. Ela esperava que ele viesse com o cavalo branco e a levasse para o mundo de contos de fadas onde seria vizinha dos sete anões, mas, no fundo ela sabia que não aconteceria.

Ela acordou naquela manhã com um desejo, comer! Abriu a geladeira esperando ter um par de ovos esperando por ela, mas, não, apenas tinha uma alface que parecia estragada, ela então vestiu um vestido vermelho, com renda na barra, sapatilhas e uma bolsa de lado marrom, correu pra não perder o elevador e dentro, apenas dentro do elevador lembrou-se dele, lembrou-se da onde ele trabalhava, lembrou-se de que nunca teria coragem de ir até lá, mas, dizendo para si mesma, ”hoje sim”, então ela correu para a lanchonete de café-da-manhã que ficava a quatro quadras dali, numa esquina movimentada da capital, cujo sabia por ele ter comentado na noite em que eles se conheceram e que ela teria relatado tudo em seu notebook na pasta ”Momentos” onde tinha tudo o que ela considerava importante.

Ali estava ela, só faltava atravessar a rua pra chegar até ele, ela repetia para si mesma ”O final feliz está em sua frente só tem que agarra-lo”, repetiu cinco vezes até conseguir coragem, atravessou, entrou o viu, ele anotava pedidos em uma mesa onde ele estava sorrindo para a criança sentada na mesa, aquele sorriso a fazia feliz, a fazia lembrar do que haveria acontecido a exatamente um mês, aquele reveillon que ela nunca esqueceria, ela se sentou numa mesa da janela duas mesas a que ele estava servindo.

Ele veio na direção dela, quando a viu ele sorriu, ela também, e durante aqueles segundos ninguém disse nada ele começou a dizer:

– Eu pensava que você tinha se esquecido! Mas…

E naquele momento ela viu razão em ter guardado as fotos, em elas estarem lá guardadas, ela viu que ele pensava nela também, viu ela que finalmente poderia colocar as fotos em exibição no apartamento dela, sem se culpar por ter uma ilusão. E tudo acontece como num conto de fadas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s