Amores de Estrada

Mais uma vez ela olha através da janela do ônibus, buscando algo para ver ou apenas para passar o tempo. E ela o vê (…) sendo ele imaginado como talvez um garoto esforçado, voltando da casa de algum parente e indo encontrar sua mãe, alguém legal e engaçado, com um sorriso encantador sem ao menos ter-lo visto. E ela continua a pensar nele até o fim de sua pequena viagem feita de sua casa até uma faculdade, que ficava na zona oeste de São Paulo. E era assim na maioria dos dias, encontrar algum desconhecido e imaginar uma vida com ele e em alguns dias até sonhar com ele, sendo que o mais provável que seja ela nunca o veria novamente e mesmo assim eram imaginadas vidas completamente diferentes com cada um deles, cada uma combinando com a música que era ouvida no fone de ouvido.

E naquelas vidas que ela criava iam se perdendo ao longo do tempo, sem muitas esperanças somente algo para a fazer não desistir da vida, algo para dar um sentido a vido, como a esperança de criar uma vida nova, uma vida de loucuras, uma vida de família e por cima de tudo, uma vida completamente feliz, onde o amor é o que move o mundo, onde a esperança nunca morre e onde a ter a vida perfeita não é a solução mas sim todo e qualquer momento que ainda se esteja vivendo. Essa e muitas outras coisas somente encontradas no fundo de nossas mentes, aquelas lembranças que só os livros criam na gente.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s